União Europeia e UNICEF visitam atividades do programa conjunto de saúde em Quínara

O embaixador da União Europeia (UE), Victor Madeira dos Santos, e a representante do Fundo da Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Christine Jaulmes, realizaram no dia 22 de maio, em Buba e Empada concretamente na tabanca de Iangue uma visita ao programa de contribuição para a redução da mortalidade materna, neonatal e infanto-juvenil na Guiné-Bissau.

A visita permitiu constatar in loco a evolução do programa, com especial atenção à contribuição ao acesso gratuito aos cuidados de saúde para as mulheres grávidas e as crianças com menos de cinco anos.

O Programa UE-Saúde está implementado nas regiões de Bafatá, Quinara, Tombali, Bolama-Bijagós e Sector Autónomo de Bissau, tem duração 2 anos, conta com um financiamento de 10 milhões de Euros, conferido na medida de 80 por cento pela União Europeia e na medida de 20 por cento pelos parceiros associados, UNICEF, IMVF e FMI.

O Programa já beneficiou diretamente 159.000 crianças menores de 5 anos, 205.763 mulheres com idade entre os 14 a 49 anos e 45.089 mulheres grávidas, além, disso já formou 1.930 Agentes de saúde comunitária em ações de prevenção e promoção de cuidados nas famílias.

Entre os resultados deste projeto, focalizado sobre a saúde, nutrição, água, saneamento e higiene destacam-se: reabilitação da infraestrutura e a melhoria da oferta de serviços de água potável, saneamento e higiene assim como a eletrificação de 45 centros de saúde, promoção do reforço das práticas familiares essenciais de prevenção e promoção dos cuidados de saúde nas comunidades, reforço da qualidade dos serviços comunitários de nutrição para meninos e meninas, assim como as instalações de saúde para triagem e atendimento dos casos de desnutrição e o reforço da coordenação e gestão das atividades de saúde e nutrição das crianças de 5 anos.

No final da visita, a Representante do Fundo da Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Christine Jaulmes, disse que ficou muito satisfeita, porque viu que as populações da tabanca de Iangue estão também satisfeitas.

Também viram como os agentes de saúde estão a desenvolver um trabalho fantástico para seguir a saúde das crianças nesta tabanca.

Para Jaulmes, este projeto dá acesso muito próximo a cada família que está longe do centro da saúde cuja distância desta tabanca é de 12 quilómetros, aqui as famílias podem ter agentes de saúde comunitária que possam aconselhar-lhes, e encaminhá-las ao médico.

A mortalidade materno-infantil desta região era muito alta, porque a mortalidade materno-infantil na Guiné-Bissau é alta também, há um problema de água, do acesso à saúde e também da educação, porque as famílias não sabem bem quais são as práticas que são importantes para a saúde das crianças.

Texto e foto: Adelina Pereira de Barros

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016