Sociedade civil denuncia passividade da comunidade internacional

SanaO Movimento de cidadãos conscientes e inconformados com a crise política insurgiu-se contra o que diz ser passividade da comunidade internacional na resolução do impasse político na Guiné-Bissau.

O advogado Sana Canté, presidente dos inconformados com a crise política, disse que a comunidade internacional “está a brincar com o povo guineense” e convidou os seus representantes a deixarem a Guiné-Bissau.

Em declarações aos jornalistas, registadas pela RFI, o advogado referiu ainda que o problema da Gâmbia foi resolvido pela CEDEAO mesmo tendo surgido depois da crise guineense. Sana Canté declarou não ter dúvidas: a comunidade internacional está à espera que rompa a violência na Guiné-Bissau para vir depois em socorro das vítimas.

Esta tomada de posição acontece numa altura em que o Presidente da República, José Mário Vaz, acaba de prometer à secretária executiva da CPLP, Maria do Carmo Silveira, atualmente em visita à Guiné-Bissau, que vai criar uma plataforma de diálogo entre os guineenses no intuito de colocar o ponto final na crise política no país, depois de longos meses de impasse que por ora não têm fim à vista.

Ainda há poucas semanas, a CEDEAO tentou reunir os atores políticos guineenses signatários dos acordos de Conacri com vista a encontrar meios de o implementar, uma reunião que acabou por ter de ser cancelada uma vez que ninguém efetuou a deslocação.

 

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016