“Situação da RTP e RDP África será ultrapassada brevemente”

O Primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló, disse que Portugal e Guiné-Bissau não são inimigos e que a questão da suspensão de atividades da RTP no país vai ser “brevemente ultrapassada”

“Entre nós e Portugal não há nenhuma contradição. Até porque a RTP está cá, mas tem funcionários guineenses. Temos responsabilidades civis e de moral com aqueles trabalhadores. Penso que brevemente vamos ultrapassar essa questão”, afirmou o chefe do executivo.

Umaro Sissoco Embaló, que falava aos jornalistas após a audiência semanal com o chefe de Estado, reafirmou que a Guiné-Bissau está “aberta” para conversar com Portugal e que “não há nenhum braço de ferro”, mas uma “questão que tem de ser resolvida”.

“A questão da RTP para mim é uma questão júnior. Já dei orientações ao meu ministro da Comunicação Social para contactar o seu homólogo (português) ”, salientou.

A 30 de junho, o ministro da Comunicação Social guineense anunciou a suspensão das atividades da RTP na Guiné-Bissau, alegando a caducidade do acordo de cooperação no setor da comunicação social assinado entre Lisboa e Bissau.

O ministro justificou a decisão da suspensão das atividades da rádio e televisão portuguesas no país com questões técnicas.

O chefe do executivo guineense disse ainda ter falado com o Presidente da República  sobre a subida galopante dos preços dos produtos da primeira necessidade.

Sissoco Embaló garante estar bastante sossegado apelando aos guineenses para abdicarem de “arrogância para o bem-estar do país”.

 ANG/Lusa

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016