Sindeprof ameaça boicotar o início do ano letivo 2017/18

O Sindicato Democrático dos Professores (Sindeprof) ameaçou hoje boicotar o arranque de próximo ano letivo 2017/18, caso o governo não cumprir, na íntegra, os restantes cinco pontos elencados no caderno reivindicativo entregue pelos dois sindicatos, em Junho passado.

Em entrevista exclusiva à Agência de Notícias da Guiné , o vice-presidente da organização, Eusébio Có destacou que no último memorando de entendimento assinadoentre as partes, em junho último, constavam seis pontos, mas apenas um deles foi cumprido pelo executivo – o pagamento de um mês corrente e atrasado de salários aos docentes novos ingressos e contratados de 2017.

De acordo com aquele responsável, faltam ainda a aplicação do estatuto da cadeira docente, o pagamento dos meses em retroativo, assim como dos salários aos professores contratados de 2012/13, entre outros.

“Se tudo continuar assim, claro que não teremos condições de contribuir para o início do próximo ano letivo”, disse o vice-presidente de Sinaprof.

Eusébio Có acrescentou que não pode negar que o governo, através do Ministério da Educação está a evidenciar os seus esforços para resolver alguns problemas que afetam os dois sindicatos da classe.

“Quanto ao problema de retroativo, (o governo) pediu-nos para fazer um trabalho com os professores que se deparam com esse problema, mas os trabalhos já foram feitos e os documentos já foram encaminhados para o Ministério das Finanças”, referiu.

em relação aos professores de novo ingresso de 2012/13, realçou que as suas dívidas já estão apuradas e validadas.

Eusébio Có apela aos professores que ainda não entregaram as suas guias como justificativo, para diligenciarem, o mais rápido possível, a sua entrega, porque até terça-feira da próxima semana, os documentos serão conduzidos para o Ministério das Finanças.

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016