Rádio Capital FM apresenta queixa-crime contra cidadão Bamba Banjai

A Direção da Rádio Capital FM entregou ontem, dia 10, uma queixa-crime ao Ministério Público contra Bamba Banjai, ativista político que defende os ideais dos 15 deputados expulsos do PAIGC, por este ter supostamente ameaçado fechar a referida estação emissora, no passado dia 21 de Abril.

Em declarações à imprensa após a entrega da queixa-crime, o diretor-geral da Capital FM disse que cabe agora o Ministério Público fazer o seu trabalho na base da lei e da justiça.

“Bamba Banjai deu um prazo de 30dias à Rádio Capital FM para fechar o seu programa denominado Frequência Ativa e ameaçou de que se isso não acontecesse aquele órgão de comunicação corre o risco de ser encerrado”, explicou o jornalista Lássana Cassamá.

Sublinhou que o procedimento de Bamba Banjai representa uma ameaça à liberdade de imprensa e a integridade física dos funcionários da Rádio Capital FM, tendo acrescentado que, por isso, optaram por meter a queixa-crime por uma questão de prevenção e de defesa da liberdade de imprensa.

“O programa Frequência Ativa vai continuar porque não podemos recuar por causa de uma ameaça. Se não, a liberdade de imprensa jamais funcionará na Guiné-Bissau”, referiu o diretor-geral daquela estação emissora privada.

Questionado se sentiu ameaçado com a referida situação, Lássana Cassamá respondeu que numa profissão nobre como o jornalismo sentir ameaçado significa renunciar à profissão e que, por isso, não vão poupar os seus esforços no que concerne a luta contra situações que possam prejudicar a liberdade de imprensa na Guiné-Bissau.

Frequência Ativa é um programa com temas abertos ao público em que se ouve muitas criticas sobre dirigentes e a situação da crise política que se vive no pais, bem como propostas de soluções para a referida situação, entre outros.

ANG

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016