Quatro monitores surdos beneficiam de formação em Portugal

Os quatro monitores da Associação de Surdos da Guiné-Bissau beneficiaram, dia 3 de Maio dos respetivos bilhetes de passagem da parte da PLAN Internacional, para efeito de formação de três meses e consequente revisão e atualização do 2º dicionário da língua gestual guineense. O curso será suportado no primeiro mês pela PLAN e a Associação de Surdos da Guiné-Bissau em parceria com a congénere de Portugal assumirão dois últimos.

Na ocasião, Seco Djassi em representação da PLAN Internacional Guiné-Bissau disse que a iniciativa de enviar monitores surdos, para formação em Lisboa está dentro de projeto de ensino de língua gestual guineense cujo objetivo se enquadra em três eixos, a saber: conceder materiais didáticos para alunos e professores, apoiar o domínio da linguagem gestual pelos pais e encarregados de educação e formação exclusiva dos docentes.

Djassi assegurou a continuidade da colaboração efetiva da sua organização na matéria educação, motivo pelo qual reconheceu o esforço empreendido pela associação ao longo dos anos.

“A Escola Nacional dos Surdos é um laboratório nacional da inclusão não só dos professores da língua gestual como também das crianças deficientes”, afirmou este responsável.

Razão pela qual, segundo ele, a PLAN decidiu apoiar a escola dos Surdos com meios pedagógicos que facilitam a aprendizagem dos alunos e professores.

A Presidente da Federação da Associação de Pessoas com Deficiência (FADPD) disse que a oportunidade concedida à Associação dos Surdos contribuirá na facilitação da integração dos surdos no mercado de emprego guineense e na sub-região.

Ana Muscuta Turé revelou-se contente com o gesto da PLAN, na medida em que constitui um ato de tamanha importância, porque o desenvolvimento saudável só se faz com a inclusão.

Muscuta Turé encorajou os beneficiários a aproveitarem no máximo esta oportunidade e que absorvam um resultado capaz de contribuir na aprendizagem dos alunos daquela instituição de ensino.

O presidente da Associação dos Surdos da Guiné-Bissau (AS-GB) reconheceu que o pagamento de bilhete de avião aos quatro monitores da Escola de Surdos pela PLAN Internacional constitui uma renovação técnica dos seus funcionários.

José Augusto Lopes assegurou que os técnicos beneficiários desta oportunidade estão aptos a aprenderem ainda mais, não só na matéria de melhoramento de dicionário nacional da língua gestual guineense, mas também nos aspetos funcionais que regularão a sua associação.

Augusto Lopes agradeceu a PLAN Internacional e a todos quantos prestaram apoios à organização e, nomeadamente, na concretização deste objetivo.

Lopes prometeu que, a breve trecho, a Guiné-Bissau estará em condição de apresentar o segundo dicionário de língua gestual da Guiné-Bissau.

Por sua vez, Marcos Miguel José de Barros em representação dos quatros monitores regozijou-se por pertencer ao grupo escolhido para beneficiar da formação em Portugal, considerando esta oportunidade de suma importância para a organização.

Miguel José de Barros revelou que os trabalhos da feitura do dicionário que serão realizados nos próximos dias em Lisboa haviam sido programados, mas que devido à ausência de meios só agora será possível. Por isso vai tudo fazer para a obtenção de maior proveito para a sua Escola e da associação da qual faz parte.

Julciano Baldé

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016