“PR promete trabalhar para regresso dos exilados políticos no estrangeiro”

fernando gomesO Presidente da República prometeu, nesta terça-feira  ao Movimento Nacional Cívico “Nô Junta mon Pa fidju de terra riba kasa“, trabalhar no sentido de garantir o regresso em segurança de todos os exilados políticos guineenses no estrangeiro.

Em declarações à imprensa após a saída de encontro com o Chefe de Estado, o coordenador do referido movimento disse que José Mário Vaz, de facto, aderiu a esta iniciativa e que ele achou que nenhum governante tem o direito de dizer que um cidadão guineense não pode regressar ao seu país natal.

Segundo Fernando Gomes, o Chefe de Estado recomendou que todos os exilados voltassem à Guiné-Bissau.

Gomes acrescentou que o Movimento Nacional Cívico está a lutar pela causa dos direitos humanos, porque hoje em dia o exílio político é inaceitável em qualquer parte do mundo.

Adiantou que o exílio político neste momento é considerado em todos os instrumentos internacionais uma violação flagrante dos direitos humanos e que, além de mais, de acordo com a  Declaração Universal dos Direitos Humanos, no seu artigo nono e décimo terceiro, condena a mesma ação.

O coordenador do Movimento Nacional Cívico ‟Nô junta mon pa fidju de terra riba kasa″ disse ainda que no plano regional, a Carta Africana dos Direitos dos Homens e dos Povos, no seu artigo décimo segundo, também condena o exílio político.

O Movimento Nacional Cívico agendou para os próximos dias a realização de uma audiência com os órgãos da soberania, líderes dos partidos políticos, entidades religiosas e outros, para conversar sobre o mesmo assunto.

Entre os exilados políticos, destaca-se o ex-primeiro-ministro e candidato presidencial, Carlos Gomes Júnior.

ANG

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016