PJ desmantela rede de fabrico e venda de equipamentos da seleção nacional de futebol

pjA Polícia Judiciária (PJ) da Guiné-Bissau desmantelou uma rede de fabrico e venda de equipamentos contrafeitos da seleção de futebol que se prepara para o Campeonato Africano das Nações (CAN2017), informou quinta-feira o diretor adjunto da corporação.

Fernando Jorge da Costa disse, em conferência de imprensa, que a PJ capturou e tem já na sua posse 531 cachecóis, 100 camisolas e calcões e 311 Chinelos com símbolos da Guiné-Bissau, fabricados ilegalmente por comerciantes chineses e da Guiné-Conacri.

Os equipamentos já estavam a ser comercializados nos mercados de Bissau de onde foram retirados por agentes da PJ, indicou ainda o diretor adjunto da corporação que aponta para crime de contrafação de material desportivo.

A Federação de Futebol da Guiné-Bissau celebrou contrato com algumas empresas para a produção de materiais de propaganda da seleção.

Segundo aquele responsavel policial, os autores da contrafação dos equipamentos dos “djurtus” serão encaminhados para o Ministério Público, que posteriormente fará seguir o processo para os tribunais.

A Guiné-Bissau prepara a sua primeira participação numa fase final do CAN, que será disputado entre 14 de janeiro e 5 de fevereiro no Gabão.

Os guineenses integram o grupo A da competição juntamente com o Gabão, Burkina-Faso e os Camarões. A abertura do evento está marcada para o dia 14, pondo frente a frente as seleções da Guiné-Bissau e do Gabão.

ANG/LUSA

 

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016