Ministério da Agricultura promete impulsionar produção agrícola no sul do país

O Ministério da Agricultura, através do Projeto de Apoio ao Desenvolvimento Económico das Regiões Sul (PADES), financiado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), vai investir cerca de 19 milhões de dólares americanos naquela zona dentro de seis anos (2015 á 2021).

O fundo é destinado a luta pela redução da pobreza, criação de condições capazes de desenvolver a economia rural sustentável e o reforço de capacidade socioeconómico das comunidades camponesas em zona da intervenção do projeto. Esta revelação foi tornada pública pelo coordenador do PADES, no dia 18 de maio, num ateliê dirigido aos técnicos do Ministério da Agricultura.

O objetivo do ateliê visa validar o inquérito feito pelo Ministério da Agricultura desde o mês de dezembro de 2016, com vista a comparar os dados de base obtidos antes do início do projeto e da evolução do mesmo.

O resultado principal deste trabalho inserirá na luta contra a situação da pobreza em que a zona rural se encontra e do estado da nutrição das crianças de 0 aos 58 meses, pelo que o referido inquérito está dividido em três fases, nomeadamente início, implementação e fim do projeto.

Dada as dificuldades nutricional das crianças encontradas no meio rural, o projeto vai intervir no sentido de permitir a obtenção de uma melhoria substancial da situação de nutrição na zona sul (Quínara, Tombali e Bolama). O donativo e o financiamento em grosso modo destinam-se à reabilitação de bolanhas, com vista a promover maior produção dos agricultores.

A cerimónia de abertura foi presidida pelo chefe do gabinete do ministro da Agricultura, Floresta e Pecuária que, na ocasião, demonstrou o quanto é importante o estudo que espelha os fatores determinantes e influenciadores capazes de gerar pobreza e fome nas comunidades rurais.

Hipólito Djata reconheceu que a problemática de segurança alimentar e nutricional constitui preocupação do Estado guineense, pelo que ausência de uma resolução está na base da pobreza das populações camponesas.

Djata afirmou que arroz fornece uma quantidade substancial da energia na dieta e que proteínas restantes devem ser acrescentadas por outros tipos de alimentos, razão pela qual urge a necessidade de mudança dos hábitos alimentar e nutricional.

Julciano Baldé                           

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016