Igreja guineense organiza primeira peregrinação a Fátima em 43 anos

Pelo menos 80 pessoas participam na primeira peregrinação a Fátima organizada pela igreja católica da Guiné-Bissau desde a independência do país, em setembro de 1973.

«Desde a independência que a igreja católica da Guiné-Bissau nunca conseguiu organizar peregrinações a cidades santas, principalmente a Fátima mas, graças à vontade que apareceu, católicos da Guiné-Bissau vão participar e marcar presença neste centenário não só como católicos, mas como cidadãos da Guiné-Bissau», afirmou Lucinda Barbosa, da comissão organizadora.

Segundo Lucinda Barbosa, a peregrinação vai incluir 80 pessoas, um «número que ultrapassou as expetativas», sendo que 15 peregrinos já viajaram para Lisboa e os restantes 65 partem na quarta-feira.

«Foi uma organização muito rápida e contamos com a colaboração da embaixada de Portugal, concretamente do consulado, que deu os vistos em tempo recorde», explicou Ema Mendonça, que também faz parte da comissão organizadora.

Além do apoio da embaixada de Portugal, Ema Mendonça destacou o apoio da igreja católica em Bissau, bem como de uma companhia aérea que voa regularmente para a capital guineense e fez um «bom preço» para as pessoas conseguirem participar na peregrinação, contando ainda a ajuda do fórum católico dos guineenses em Lisboa.

«Já estamos preparados e com expetativas enormes. O que espero de Fátima é receber uma nova mensagem como há 100 anos. Tudo vai correr bem e vamos rezar pelo nosso país e pedir paz para os homens e famílias e para que haja tranquilidade e progresso no nosso país», disse.

O papa Francisco visita Fátima, a 12 e 13 de maio, presidindo às celebrações de canonização dos dois pastorinhos Jacinta e Francisco no centenário das aparições na Cova de Iria, em 1917.

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016