Fodé Carambá Sanhá promete uma sociedade civil inclusiva, independente e autónoma

Uma sociedade civil aberta, inclusiva, independente e autónoma em relação às questões políticas e, ainda, inclinado para um desenvolvimento económico mais forte, é o que se pode esperar da eleição de Fodé Carambá Sanhá à presidência do Movimento Nacional da Sociedade Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento.

Estas garantias foram dadas, nesta quarta-feira, pelo próprio Carambá Sanhá, à margem de uma visita que efetuou ao jornal “Nô Pintcha”, no quadro da intenção de se candidatar à liderança da sociedade civil (SC) guineense.

Neste sentido, agendou visitas não só a diferentes órgãos de comunicação social, como a outras instituições públicas e privadas do país.

Caso seja eleito nas próximas eleições, ainda sem data marcada, Sanhá promete uma SC que contribua para a estabilidade duradoura na Guiné-Bissau.

Baseando-se nos estatutos do movimento, segundo os quais as SC engloba várias sensibilidades da vida ativa não estatal e apartidária, disse que irá integrar todas as comunidades, inclusive o poder tradicional que deve ter uma forma especial de representação. Adiantou que a diáspora também deve fazer-se representar, bem como as organizações dos estrangeiros residentes no país.

Em relação ao jornal “Nô Pintcha”, o futuro candidato ao MNSCPDD afirmou que este órgão de imprensa escrita sempre foi considerado um parente pobre da comunicação social estatal, em comparação com a RDN e TGB, que são medias de informação imediata. “Esquecem o jornal que é de tradição. O ‘Nô Pintcha’ veio de longe e deve ser preservado e destacado a nível nacional e internacional”, notou.

No entanto, manifestou-se satisfeito por saber que o jornal vai às regiões procurar informações sobre o dia a dia das comunidades locais, não se limitando apenas à cidade de Bissau.

Durante a visita, o candidato que tem como slogan “Ordidja di Consenso”, também é do seu conhecimento a existência de um site na internet, o que, segundo ele, pode ajudar a diáspora guineense que se encontra um pouco por todo o mundo a estar atualizada sobre o que se passa no país de origem.

Fodé Carambá Sanhá, que também é atual presidente da Associação dos Consumidores de Bens e Serviços (Acobes), criticou os dirigentes do país que “nunca deram atenção à comunicação social”.

E garantiu que, no quadro da sua candidatura, vai prestar atenção ao setor, porque é o mais próximo da população, está sempre junto da comunidade e pode fazer com que as autoridades saibam das suas necessidades.

A seu ver, as autoridades devem destacar a imprensa como um meio de educação da sociedade e mostrar o nível do desenvolvimento da Guiné-Bissau.

Por isso, afirmou que, em caso de sua eleição, não vai interessar-se dos media só para efeitos de cobertura, mas também no âmbito de os ajudar a encontrar parcerias com outras instituições, prometendo usar a sua influência junto das autoridades para a capacitação dos técnicos da área.

Aconselhou para a aposta na imprensa escrita, tendo em conta um elevado número de jovens e crianças que hoje  se encontra no sistema de ensino. “Vocês estão a promover a cultura da leitura”, referiu.

Até aqui já são conhecidos três pré-candidatos à presidência do MNSCPDD, nomeadamente Fodé Carambá Sanhá, Fodé Mané e Osvaldo Nanque.

Texto: Ibraima Sori Baldé

Foto: Adulai Djaló

 

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016