FMI felicita desempenho económico do país

João Alage Fadiá, ministro das Finanças

O representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) na Guiné-Bissau, Óscar Melhado, felicitou o que diz ser “bom desempenho” das autoridades do país, sobretudo “ao nível do controlo das finanças públicas”, e informou que a instituição aprovou a terceira avaliação dos objetivos fixados com o executivo de Bissau.

“A aprovação da terceira avaliação do programa com o Governo da Guiné-Bissau não é um favor do FMI, não é gratuita, não é compaixão, é somente fruto de um trabalho rigoroso que tem sido feito nos últimos meses”, defendeu Óscar Melhado em conferência de imprensa conjunta na terça-feira com o ministro da Economia e Finanças e a representante do Banco Mundial no país.

O representante do FMI disse também que os “louros pelo bom desempenho” são resultado “do trabalho árduo do ministro da Economia e Finanças”, João Fadiá, mas também “do presidente José Mário Vaz”.

“Diria que a consolidação fiscal e o alcançar de uma maior gestão da tesouraria pública é um logro importantíssimo da vida económica do país”, notou ainda Melhado.

Já a representante do Banco Mundial (BM) no país, Kristina Svenson, anunciou um conjunto de apoios à Guiné-Bissau, “nomeadamente um envelope de 25 milhões de dólares para a instalação de um cabo submarino no país, através do qual será melhorado o serviço da Internet”.

Svenson revelou ainda “apoios importantes” do BM, “juntamente com outros parceiros aos setores da água e energia”, em valores que não quantificou, bem como a doação de “três milhões de dólares” a uma empresa de produção e exportação de frutas e legumes.

Tal como havia sugerido o representante do FMI, também a delegada do BM na Guiné-Bissau espera que os apoios e os ganhos derivados “do bom desempenho macroeconómico se traduzam na vida das populações, sobretudo as dos meios rurais”.

ANG

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016