Filhos de Gabu pretendem refletir sobre situação da região

Os filhos e amigos da Região de Gabu residentes no país e na diáspora pretendem juntar cerca de 200 pessoas para refletir sobre a má situação da zona e transformá-la em oportunidades.

A afirmação é do coordenador do Núcleo dos Filhos e Amigos de Gabu, em Bissau, Bacar Baldé, durante uma conferência de imprensa, na presença de cerca de 10 dezenas dos descendente desta região, com o objetivo comum de juntar ideias, construir consensos e avançar para uma primeira conferência marcada para os dias 22 a 25 do corrente mês, naquela cidade, sob o lema: “Por si e pela região”.

Bacar Baldé afirmou que, depois desta conferência, o coletivo vai produzir um documento que será posteriormente entregue às autoridades locais, assim como outros atores de desenvolvimento e de negócio, principalmente da agricultura, do meio ambiente, da cultura e desportos, da exploração dos recursos naturais, entre outros.

Este filho da região de Gabu assegurou que este encontro vai ser amplo e democrático em discussão e articulação de ideias em torno de propostas e estratégias de desenvolvimento. Baldé explicou que a característica deste encontro é reunir todas as franjas da Região de Gabu, principalmente as autoridades locais e tradicionais, sociedade civil e outras, para se debater e decidir sobre prioridades, propostas na área política, pública, direcionada a esta região nos próximos cinco anos.

“Para concretizar esta ideia, foram criados núcleos de coordenação, nomeadamente em Portugal, Inglaterra, Estados Unidos da América, Angola, Guiné-Bissau, Espanha, entre outros.”

O coordenador de Bissau explicou ainda que, neste momento, a comissão organizadora vai ser presidida por Laurindo Lássana Darame, que está a funcionar na cidade de Gabu, onde estão a ser preparadas todas as atividades para o acolhimento de delegados e a abertura da conferência.

Bacar Baldé lembrou que a Região de Gabu possui enormes potencialidades em termos de recursos humanos, agropecuários, mineiros e muito mais. Esta região de um dos mercados mais bem apetrechados e um dos mais concorridos da Guiné-Bissau, dada a sua localização geográfica.

Neste sentido, Baldé lamentou que estas potencialidades da região têm vindo a confrontar-se, sobretudo nas últimas décadas, com imensos desafios e ameaças, que deverão ser encarados com muita racionalidade, seriedade e alguma brevidade, de forma a impedir a degradação das suas potencialidades e a consequente deterioração das condições de vida das suas populações.

 

Texto e foto: Fulgêncio Mendes Borges

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:

Seu comentario Aqui!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016