Ensino: Governo inaugura Centro de Formação de Professores em Buba

O ministro da Educação Nacional, Sandji Fati, inaugurou em Buba, no dia 30 de novembro último, um centro de formação de professores com capacidade para albergar, anualmente, cerca de 100 formandos, cuja construção ascendeu a 500 mil dólares.

A arquitetura e os trabalhos de construção do mesmo foram coordenados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) na Guiné-Bissau, em estreita coordenação com o Ministério da Educação.

O ministro da tutela apontou como um dos objetivos melhorar a qualidade do ensino através de seleção criteriosa de docentes qualificados.

“Quanto maior for o número de professores, melhor será a qualidade do ensino, pois, o Governo passará a lecionar e ficar com os melhores docentes a partir da quantidade suficiente que existe”, disse Fati.

O centro foi batizado com o nome de Serifo Fall Camará, tendo o governante justificado essa nomeação por  aquele personagem ter sido um ex-combatente de liberdade da pátria e desempenhado o cargo de diretor-regional de Educação de Quínara.

Sandji Fati teve um discurso muito focalizado na política (atual crise) e à história da figura de Serifo Fall Camará.

A representante do UNICEF na Guiné-Bissau, Christine Jaulmes, em representação dos parceiros intervenientes no setor educativo, disse que o momento era de celebração, mas o compromisso com a educação é muito mais do que isso.

“Torna-se imperativo facultar aos filhos da Guiné-Bissau o acesso a um ensino de qualidade e que, para isso, é necessário que o país se faça dotar de uma classe docente adequada, em quantidade e qualidade necessárias”, adverte Jaulmes.

Christine Jaulmes revelou que, no plano específico, este centro de formação de professores vai contribuir para responder à necessidade nacional de tornar o corpo docente mais qualificado e estimou que o aumento de exigência na formação dos docentes vai elevar a qualidade do ensino. Acrescentou, ainda, que “não é possível ter uma educação de qualidade sem professores qualificados”.

Jaulmes advertiu ao Governo que a construção do edifício por si só não é suficiente. É também necessário que o ministério de tutela esteja em posição de colocar formadores e preparar conteúdos didáticos que assegurem a preparação de novos docentes.

De salientar que o centro de Buba é dos três centros com a mesma capacidade, sendo os dois outros, um em Bafatá (já inaugurado) e um em Cacheu (ainda por inaugurar), construídos com o financiamento da Parceria Mundial de Educação.

Segundo as estimativas, espera-se que, a partir de 2020, anualmente poderão sair nesses três centros cerca de 300 docentes para lecionar nas escolas do ensino básico e secundário com melhores qualificações.

Dados do centro

As obras de construção tiveram início em dezembro de 2015. O edifício principal tem quatro salas de aulas, uma biblioteca, um salão de reuniões e quatro casas de banho. Na cantina pode-se encontrar um salão para refeições, cozinha, casa de banho e despensa;

Dotado de instalação para gerador, o depósito de combustível tem capacidade para armazenar mil litros. Conta também com um depósito de água para 10 mil litros, assim como zonas de lazer.

SONY DSC

Entretanto, decorrem obras de construção de uma residência para albergar o diretor do centro e a respetiva família. O custo dessa estrutura, segundo o ministro da Educação, vai ser assumido na íntegra pelo Governo.

Texto e foto: Aliu Baldé

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016