Caritas Guiné-Bissau analisa plano estratégico 2017-2020

A Caritas Guiné-Bissau organiza, nos dias 4 e 5 de maio, a III Assembleia Geral Ordinária sob o lema “O amor de Cristo é que nos impulsiona ao serviço da criação”.

O encontrou juntou cerca cinco dezenas de delegados vindos de diferentes paróquias, na qual apresentaram o relatório técnico e financeiro das ações desenvolvidas de 2013 a 2016, análise e aprovação dos estatutos revistos e o plano estratégico para o horizonte temporal 2017-2020.

Ao presidir a cerimónia de abertura o Bispo de Bissau disse que o coração de Caritas é o amor sacrificial de Cristo, pelo que cada forma de caridade individual, organizada na igreja deve encontrar sempre o seu ponto de referência que constitui a nascente de caridade.

Dom José Camnaté Na Bissing assegurou que a caridade deveria inspirar numa experiência pessoal de fé, levando à descoberta de que Deus é amor. Daí, a caridade cristã ultrapassa a nossa capacidade natural de amar.

“Bondade é uma virtude teóloga e, consequentemente, a Caritas desafia o doador a situar a assistência humanitária no contexto de um testemunho pessoal de fé que torna uma parte do dom oferecido aos pobres”, declarou.

Camnaté Na Bissing afirmou que a atividade caritativa torna-se um gesto verdadeiramente digno da pessoa humana criada à semelhança de Deus. Aliás, a caridade fomenta o crescimento da santidade em conformidade com o exemplo dos numerosos servos pobres que a igreja elevou à honra dos altares.

Na Bissing revelou que o papa Francisco havia afirmado que a Caritas, juntamente com outros organismos da igreja revelam força do amor cristão e o desejo da igreja em ir ao encontro do Jesus em cada pessoa. Sobretudo quando é pobre e sofre.

“O Santo Padre realçou que quem vive a missão da Caritas é testemunha de Cristo e deve levar o seu amor aos que mais sofrem”, advertiu.

Este responsável religioso encorajou a família Caritas a trabalharem no sentido de converter os corações a uma maior abertura aos demais necessitados, para que cada um em pleno respeito de sua própria liberdade assuma responsabilidades pessoais.

Por sua vez, o secretário-geral da Caritas Guiné-Bissau demonstrou que a solidariedade é a determinação firme e perseverante de se empenhar pelo bem comum sem qualquer tipo de distinção.

“Hoje orgulhamo-nos desta instituição pelo trabalho e credibilidade, o que resultou em novos cuidados prestados, parcerias assinadas e intervenção em comunidades distantes e encravadas. Apesar destas conquistas estamos conscientes de que tudo isso é apenas um começo, pelo que o que resta por fazer ainda é maior”, afiançou o padre Domingos Manuel Binhaguê.

Manuel Binhaguê garantiu que nunca se renderão aos desafios da Caritas, daí o novo plano estratégico e estatutos que irão adotar nesta assembleia mostrarem claramente que têm a consciência da nova longa e árdua caminhada. Tendo prometido determinação na luta conjunta a fim de sentir o sabor da vitória.

Binhaguê apelou a família Caritas a diversificar iniciativas e ser criativas, de forma a não ser surpreendidas pelas situações que não jogam a seu favor, isto é a favor do bem-estar dos cidadãos e da dignidade da pessoa humana.

“Caritas Guiné-Bissau encontra-se numa altura particularmente desafiante, na medida em que os problemas sociais são inúmeros e poucas são as soluções em manga”, lamentou.

Segundo o responsável número um da Caritas Guiné-Bissau, esta triste constatação pode fazer nascer em nós o sentimento de inutilidade dada a gravidade da situação e os seus contornos.

Julciano Baldé

 

 

Print Friendly
Siga nos nas redes socias:
partilhar isso?

Deixar uma resposta

Todos direitos reservado JORNAL NOPINTCHA 2016